Resumo:
A leptospirose, uma zoonose causada por uma espiroqueta do gênero Leptospira, é uma doença presente na maioria dos países do mundo sendo um problema de grande impacto social no Brasil. Os objetivos deste estudo foram de confirmar o diagnóstico dos casos com suspeita clínica de leptospirose pela microaglutinação e cultura, desenvolver o ensaio da polimerase em cadeia (PCR) para o diagnóstico leptospirose, determinando a sensibilidade e especificidade desse teste e desenvolver e aplicar métodos baseados em reação da polimerase em cadeia para amplificação de regiões intergênicas entre elementos repetitivos de leptospiras para tipagem molecular de cepas isoladas em estudo epidemiológicos. A população do estudo foi composta por pacientes admitidos no Hospital Couto Maia com diagnósticos clínico de leptospirose na admissão, durante o período de 05/05/97 a 28/11/97. A confirmação diagnóstica foi realizada através da microglutinação em 51,3% (83/162)dos casos identificados. 36,4% (59/162) dos pacientes não foram confirmados por este testados. Foram identificados através da hemocultura 56,7% dos casos confirmados pela MAT. Para a realização do PCR para diagnóstico foram obtidas amostras de plasma e/ou urina de 129 pacientes. O PCR apresentou uma sensibilidade de 44 % (36/83) em amostras de urina, 21% (16/78) em plasma e de 57% (37/65) quando foram testadas amostras pareadas de plasma e urina. No grupo de controles negativo não houve reação positiva pelo PCR, representando uma especificidade de 100%. Nos pacientes nos quais foram colhidas amostras com menos de sete dias de sintoma, a positividade do PCR foi de 42% (13/31) para amostras de urina e 30% (6/23) para amostras de plasma. O PCR de leptospirose mostrou não possuir as condições requerida para sua implantação a nível ambulatorial, fazendo-se necessário o desenvolvimento de novos testes diagnósticos. Foram tipadas pelo método de PCR 63 (71%) dos isolados de casos humanos e 35 (35%) de ratos em Salvador-BA e os padrões obtidos foram comparadas com os de cepas de referência. As amostras pertencentes ao sorogrupo Icterohaemorrhagiae possuíram padrão semelhante entre si. O método de tipagem molecular pelo PCR demostrou ser uma técnica reprodutível e fácil de ser realizada, funcionando como uma metodologia alternativa para tipagem de cepas de leptospiras

Palavras-chave: Leptospirose; PCR; Diagnóstico; Tipagem

Orientador: Mitermayer Galvão dos Reis

Financiador: 

Defesa: 2000

Banca examinadora:
Martha Mª Pereira
José Tavares Neto
Mitermayer Reis

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE MÉTODOS BASEADOS EM PCR PARA O DIAGNÓSTICO E TIPAGEM MOLECULAR DE CEPAS ISOLADAS EM EPIDEMIAS URBANAS DE LEPTOSPIROSE EM SALVADOR, BA.